Vinho & Gastronomia

VINHOS PORTUGUESES & A GASTRONOMIA NACIONAL

Sugestões

A gastronomia portuguesa tem uma grande variedade de sabores, cores, e apresentações, com uma escolha bastante diversificada e de alta qualidade em termos de alimentos e vinhos para degustar maravilhosas refeições.

O nosso país tem uma vasta gastronomia com uma história de séculos, fazendo o nosso maior orgulho, assim como o dos nossos chefes de culinária e enólogos. Através da geografia de Portugal, iremos conhecer pratos típicos e daremos a devida relevância aos vinhos de cada região. De facto, a qualidade de uma refeição está estreitamente ligada à qualidade do vinho que a acompanha. 

Portugal apresenta de Norte a Sul uma extensa gama de vinhos, desde o verde, de uma apetitosa frescura, até ao porto, o mais generoso do Mundo.

A região do Minho oferece um excelente e saboroso vinho verde. O tinto acompanha na perfeição o eterno e conhecido Serrabulho confeccionado com carnes de porco frescas e sangue de porco cozido com batatas cozidas. Os vinhos brancos verdes, pelo grau alcoólico mais baixo e servindo quase de “refresco”, darão um sabor especial aos aperitivos de fins de tarde no Verão, com mariscos ou até com leves entradas de barbecue. Depois de passar à mesa, poderá saborear os vinhos brancos da região com umas Amêijoas à Bolha Pato, ou até mesmo uns camarões tigre grelhados com molho de manteiga ligeiramente picante. 

Mariscos cozidos vão bem com vinho branco leve, acídulo ou com vinho verde branco.

O Arroz de Lampreia desta região também poderá ser servido com um vinho tinto jovem.

Em Trás-os-Montes poderá apreciar os maravilhosos vinhos bem frutados, com um saboroso Coelho à Transmontana, ou umas Trutas do Rio Cávado num belo restaurante típico da região. O famoso Cozido à Portuguesa irá também combinar deliciosamente com um vinho tinto Transmontano.

Os brancos desta região, menos acídulos e menos jovens combinam com gratinados ou cozinhados gordos, ervas aromáticas e especiarias. Podemos pensar numa vitela assada com umas belas batatas e uns grelos ou um polvo assado no forno.

A região do Douro é conhecida pela sua tradição vinícola, assim como pelo seu saboroso Cabrito Assado no Forno, acompanhado de um bom vinho tinto.

A região mais difícil de cultivar, com encostas bem escarpadas divide-se mais ou menos em 50% vinho de região demarcada e outros 50% vinho do Porto. Os grandes vinhos do Douro estagiam em pipas de carvalho francês entre 9 e 18 meses o que lhes confere um paladar de prova único. “Pica no chão” com um tinto aromático e encorpado numa escarpa virada para o rio Douro é um prazer único que não se deve deixar para amanhã.

Esta fabulosa região também é conhecida pelo seu saboroso vinho rosé. Este tipo de vinho é um excelente acompanhante para petiscos antes da refeição, é claramente um óptimo vinho de esplanada. Mas as suas virtudes não se esgotam aqui, uma vez que combina com pratos ligeiros de Primavera e Verão, massas, ou saladas frias. 

A gastronomia desta região é tão vasta quanto os vinhos que ali se produzem.

Na tradição e cultura portuguesa “emblema”, Vinho do Porto, mundialmente conhecido e cuja grande parte da produção nacional é exportada. Os vinhos do Porto são geralmente doces, mas existem também alguns secos. São apreciados em aperitivos e para acompanhar sobremesas, mas também são utilizados na confecção de alguns pratos tipicamente portugueses, na maior parte das vezes para refrescar os molhos. 

Junto de uma lareira, poderá apurar o paladar com um vinho do Porto e um saboroso queijo ou frutos secos do nordeste português. 

A região do Dão caracteriza-se pela excelência dos seus vinhos tintos. De facto, a Chanfana combina com vinho tinto velho, aveludado, com um bom "bouquet", por ser mais redondo e aveludado. Da mesma forma como o famoso Arroz de Cabidela de Cabrito casar-se-á harmoniosamente com um vinho tinto novo, pelo seu sabor fresco e floral.

Mais a norte, a Serra da Estrela tem para oferecer o que de melhor se faz em termos de queijos, e apreciam-se com um excelente vinho tinto da região do Dão.

O conhecido Bife à Portuguesa, confeccionado com uma boa carne vermelha de novilho frito em azeite, alho e louro é regado por um gostoso vinho branco no final juntamente com umas gotas de vinagre e um pouco de manteiga e servido com batatas cozidas. Este delicioso Bife à Portuguesa requer um vinho tinto encorpado mas com alguma juventude que permita realçar o bouquet. O ideal será um vinho da casta Touriga Nacional do Dão ou do Douro.

A Bairrada e o seu famoso Leitão acompanhado geralmente por umas batatas fritas estaladiças combinam com um espumante natural. Aliás os espumantes vão bem com tudo, está na moda, começar e acabar uma refeição sempre com a mesma companhia “um espumante natural “. 

A zona litoral é mais conhecida pelo mar que traz até às nossas mesas peixe fresco. De facto, certos aperitivos, peixes e Caldeirada de Peixe e até mesmo algumas sobremesas mais fortes da região de Tentúgal pedem vinhos brancos das castas locais, Maria Gomes e Bical, mais frutados e com baixa acidez.

A sardinha assada e o bacalhau da Figueira da Foz, comem-se lindamente à beira mar, com um vinho tinto novo encorpado, com alguma adstringência ou um espumante. 

Um pouco mais para o interior podemos deliciar-nos com um típico Carré de Borrego, e o seu leve molho de mostarda que casa muito bem com uma bela baga da Bairrada.

Mais a sul, na região Ribatejana, as Terras do Sado de Palmela, oferecem a casta castelão ou periquita (vinho tinto) que são óptimos para apreciar com o queijo de Azeitão. Os vinhos brancos ricos e frutados por crescerem numa zona bastante quente, conduzem-nos a uma bela esplanada de Sesimbra para saborear um espadarte grelhado e umas trouxas-de-ovos.

Em Setúbal, poderá saborear vinhos doces, tal como o Moscatel, vinhos macios e perfumados que vão ganhando vida com os anos. Estes vinhos são adequados para servir com sobremesas, ou beber como digestivo entre duas refeições. 

A região de Setúbal também é conhecida pelo seu famoso vinho rosé de Lancers. O rosé deve ser encarado como um refresco. Por essa razão deve ser leve, não deve ter graduação alcoólica elevada, deve ser um vinho leve na boca, com boa acidez e que apetece beber mais. O vinho rosé é apreciado pela sua leveza, frescura, sabor frutado e ligeiramente “pétillant”, um sabor único e preferido que oferece uma sofisticação simples, sensual e transforma qualquer situação num momento especial.  

O nosso famoso Bacalhau com as suas mil e umas maneiras de o cozinhar, é geralmente, acompanhado de vinho branco, se for cremoso, e com vinho branco mais seco se for confeccionado no forno, de maneira a compensar a gordura. O Bacalhau à Lagareiro ou Frito em azeite deverá ser servido com um vinho tinto encorpado.

Nas planícies Alentejanas, os vinhos são mais gordos, mais ricos e aveludados para acompanhar a tradicional caça, que depois se transformará em carne no forno. A Carne de Porco à Alentejana e a Vitela Alentejana requerem vinhos tintos encorpados e com bouquet. A tradicional Sopa de Cação, casa de uma forma correcta com o Antão Vaz (casta de vinho branco). Quanto aos Petiscos Alentejanos, estes podem ser provados com vinhos brancos mais jovens, menos carregados de aromas de maneira a não confundir os paladares, Chardonnay ou Sauvignon.  

No Algarve, poderá apreciar os vinhos brancos algarvios, essencialmente da zona de Lagoa, com marisco fresco, Camarão cozido, Percebes ou até umas Lulas grelhadas na esplanada de restaurante de Portimão, junto a uma bela praia. 

Um bom pargo no forno deve ser servido com vinho branco mais seco, encorpado e capitoso.

No que diz respeito aos vinhos tintos, estes acompanham harmoniosamente as carnes brancas e legumes grelhados. 

Quanto às belas saladas algarvias com orégãos, combinam com vinho tinto.

Como aperitivo, o melhor é um Madeira Seco, que nos pode estimular o apetite para a refeição. Como digestivo, e para terminar a refeição deverá servir-se uma aguardente vínica ou bagaceira.

Todos estes vinhos e gastronomia representam a forma de ser e estar dos portugueses e dos valores a eles ligados – alegria de viver, sol, luz, cor, prazer, bem-estar, cultura e história, geografia, carácter, integridade e muito mais!

 “Porque as garrafas da Verallia Portugal, acompanham as vossas refeições e os momentos mais importantes, merecem a maior qualidade”.

Com a amável colaboração do Sr. António Maia (Restaurante Santa Catarina – Figueira da Foz)