Verallia Glass Riders no Dão

Verallia Glass Riders no Dão

Num ano em que todos fomos postos à prova, o grupo da “Verallia Glass Riders”, foi até ao Dão. Pelas palavras de Pedro Bessa, um dos grandes ciclistas da Verallia, segue o testemunho e palavras de incentivo, na primeira pessoa, de quem esteve a percorrer estes quilómetros até à região do Dão e de quem deixa, a todos, uma mensagem de coragem frente a este ano atípico.

“As coisas vão dar certo quando decidimos acreditar no poder de as realizar.
Assim foi, em tempos difíceis, lá conseguimos mais uma vez fazer aquela ‘voltita’ que todos os anos como que num desígnio quase “religioso”, tentamos cumprir.
E porque nenhum caminho é longo demais quando acompanhados por amigos, lá fomos até ao Dão.
Com algumas restrições e hábitos a que não estamos de todo habituados, tudo correu como planeado a não ser aquelas histórias que para sempre ficarão, como a da “caça ao coelho”, mas isso é outra história, uma história que apenas pode ser vivida e sentida por quem lá esteve e quem lá esteve viveu-a com muita animação, para outro alguém foi mesmo sentida no aspeto físico da questão. Ninguém se aleijou e isso é sempre o mais importante.
Porque mesmo nestes tempos, jamais devemos desistir das coisas que nos fazem sorrir, o importante é ter pressa para ser feliz ainda mais quando atravessamos um ano atípico, jamais experienciado onde quase tudo foi ou é cancelado.
Mas cada ferida deve ser encarada como uma lição, e essa lição deve-nos tornar melhores e mais preparados. Obrigado a todos os participantes deste ano, desde já o agradecimento do grupo Verallia Glass Riders por mais esta pequena aventura e que para o ano haja mais e melhor, mais participantes, um almoço no mínimo idêntico e o mesmo ambiente, pois esse é sempre o mais importante. Obrigado”.

Pedro Bessa, Verallia Portugal