Entrevista com Alexandrino Amorim

Entrevista com Alexandrino Amorim

Alexandrino Amorim – Diretor de Marketing e Comunicação

”Desde 1937 que as Caves São Domingos, produzem espumantes, aguardentes e vinhos Bairrada e Dão”. Qual o segredo para manter a excelência há mais de 80 anos?
Muita paixão e um grande empenhamento dos timoneiros desta casa, que, desde sempre colocaram a qualidade dos seus produtos no topo das prioridades. O espírito de família que reina entre todos os colaboradores, desde as equipas de produção, administrativa, comercial, até à equipa técnica, constituem as partes de um todo com um único objetivo, elevar o prestígio da marca São Domingos e criar confiança absoluta no consumidor.

“As galerias das Caves Solar São Domingos albergam mais de dois milhões e meio de garrafas de espumante, largos milhares de vinhos engarrafados e centenas de quartolas em carvalho francês para as suas afamadas aguardentes vínicas”. Como gere todo este tesouro no dia-a-dia?
Para atingir a qualidade desejada tudo o que produzimos exige prolongado estágio. Aos Espumantes Brutos é exigido um estágio mínimo de 2 anos que se pode prolongar até 9-10 anos. As Aguardentes apuram o seu requinte em cascos de carvalho francês 3, 5, 10, 20 e 30 anos, merecendo destaque a Velhíssima e a Essência. Os vinhos entrada de gama Bairrada e Dão necessitam de 3 a 4 anos de cave, as gamas superiores podem ter 10 anos, até chegarem ao mercado. Um investimento elevado a exigir avultado investimento em barricas e garrafas obrigando a um exigente controlo de stocks. Estas existências são rigorosamente controladas pelas entidades competentes.

Qual o peso do enoturismo para as Caves Solar S. Domingos e como surgiu?
A nossa empresa desde 1990 tem uma estrutura pensada para receber os seus clientes e empresas que usufruem do nosso magnífico espaço. Recebemos 4.000 pessoas por ano. Sempre tivemos muitas visitas turísticas, hoje com uma procura permanente que nos exige ter uma oferta variada de programas de enoturismo possível de consultar na nossa página web. A sala Baga e a sala Bairrada permitem que empresas de todo o país possam fazer apresentações dos seus próprios produtos, reuniões de trabalho ou convívio que, invariavelmente inclui almoço ou jantar na companhia do não menos famoso Leitão assado à Bairrada e os nossos Espumantes, Vinhos e Aguardentes São Domingos.

Quais os principais investimentos feitos até agora nas Caves Solar S. Domingos? Quais os resultados?
Uma casa com mais de 80 anos necessita de permanentes investimentos para se manter atualizada na procura de melhorar e estar no topo da qualidade em todos os setores produtivos, seja nos espumantes, nos vinhos e nas aguardentes. Depois de avultado investimento numa adega nova em 2005, o aumento de capacidade e melhoria nos equipamentos exigem permanente investimento. No último ano aumentamos a capacidade de vinificação e complementamos a linha de remuage mecânica, ficando praticamente mecanizada esta delicada operação do espumante.

“Vidro & Espumante são indissociáveis”. Concorda? Qual o valor que a garrafa de vidro traz aos seus produtos?
A garrafa é o primeiro objeto que transmite qualidade ao seu conteúdo. Assim acontece nos vinhos tranquilos e em especial no espumante que oferece a nobreza e o requinte que faz sorrir e festejar nos momentos especiais. É, pois, de enorme importância o design e a qualidade do vidro, pegarmos num objeto e este transmitir o desejo de posse. Uma garrafa de Espumante São Domingos quando aberta deve ser um Momento Intenso ou um Momento Único, esta é a nossa mensagem há 80 anos.

 

Confidências:

Qual o espumante que acompanha os seus melhores momentos?
O Espumante São Domingos Elpídio (nome do fundador) devido ao seu estágio de 4 anos em cave à temperatura permanente de 12ºC, a bolha finíssima, uma acidez vibrante e uma cremosidade na boca que lhe confere extrema elegância. Servido com aperitivos e acompanhar a refeição enaltece a sua refeição.

Qual a viagem dos seus sonhos e porquê?
Nova Iorque, a concretizar muito brevemente. É o centro do mundo, lugar onde tudo acontece.

Qual o livro e o filme que mais o marcaram e porquê?
Filme, sem dúvida a obra-prima de Bernardo Bertolluci - 1900, realizado em 1976 é um filme épico que mostra a Itália desde o inicio do sec. XX até à II Guerra Mundial. De uma beleza e realidade que à época podia ser o retrato do nosso Portugal. Livro, O Homem de Lisboa, a história de Alves dos Reis um homem genial. Conseguiu imprimir dinheiro verdadeiro, em duplicado, e investir em favor do seu próprio país. Impensável nos dias de hoje!...

Qual é o seu lema de vida?
A simplicidade, honestidade e alegria de viver.

Se não estivesse a trabalhar nesta área, qual poderia ter sido a sua profissão?
Antes de chegar aqui, vivi e trabalhei num estabelecimento hoteleiro que deixou excelentes recordações e um grandioso grupo de amigos que não esquece mais. Um verdadeiro espaço de relações públicas onde todos os dias se aprende.